fbq('track', 'ViewContent');
(48) 3241-4004 / (48) 99142-9094 [email protected] Nós te ligamos!
Pesquisar palavra exata
Search in title
Search in content
Search in comments
Search in excerpt
Search in posts
Search in pages
Search in groups
Search in users
Search in forums
Filter by Custom Post Type
Filter by Categories
Acessórios
Consignação
Curiosidades
Dicas
Financiamento
Lançamento
Manutenção
Notícias
Segurança no Trânsito
Sem categoria
Seminovos
Vender

História do automóvel no Brasil e porque você deveria conhecê-la

História do automóvel no Brasil e porque você deveria conhecê-la

Antes de conhecer a História do Automóvel no Brasil, vamos falar um pouco sobre o início desta grande jornada. A história do automóvel começou lá em 1885, quando o primeiro carro a se locomover com combustão a gasolina foi criado. Um alemão que atendia pelo nome de Karl Benz criou o primeiro modelo (foto em destaque), chamado de Motorwagen mas, foi em 1976 que os primeiros protótipos e experimentos de carros começaram a acontecer a todo vapor. As experiências deram início com motores que atingiam de 2 a 3,5 km/h em carroças adaptadas com 3 ou 4 rodas, um grande avanço para época.

A história do automóvel no Brasil começou na década de 20, onde a importação de carros já era uma rotina bem divulgada. A Ford tinha iniciado a montagens dos seus carros em São Paulo em 1919 e a General Motors fez o mesmo logo em seguida, no ano de 1925. A montagem dos carros importados retomou a rotina no ano de 1946, mas alguma coisa havia mudado. A necessidade de improvisar peças necessárias para reposição durante o triste período da guerra, obrigou o nascimento de uma pequena indústria de autopeças, encorajando os entusiastas que já pensavam em modelos de carros produzidos no Brasil.

História do automóvel no Brasil e porque você deveria conhecê-la (2)

Os investidores e empresários que viveram nesta época afirmam que foi um período determinante para o setor de autopeças. As importações indiscriminadas encerravam com as reservas cambiais e o balanço de pagamentos estava a ponto de esgotar. No ano de 1952 o Brasil atingiu o limite, tornando-se um país sem estradas e sem transportes.

Mas, o ano de 1952 trouxe excelentes notícias! O Aviso 288, da CEXIM foi o primeiro ato governamental relativo ao setor, liberando a importação de autopeças, mas limitando o licenciamento a artigos não fabricados no Brasil. Outro fato importante foi a aprovação em 1952, pelo presidente da república, das conclusões da subcomissão para o estímulo da produção nacional de autopeças. Para convencer a população que não acreditava no país, foram organizadas amostras e exposições da indústria de autopeças.

Quando Juscelino Kubitschek tomou posse, a história do automóvel no Brasil voltou a ser mencionada. Um grupo de trabalho foi criado com a missão de apresentar, em 30 dias, um plano para execução do parque automobilístico no país. Em 16/06/1956 este plano foi criado, e esta data é considerada o 1º marco da história do automóvel no Brasil. Foi aí que o GEIA realmente viabilizou os esforços, os planos e as iniciativas referentes ao parque automobilístico nacional.

Os primeiros veículos no Brasil

perua DKW

Embora os primeiros carros da história do automóvel no Brasil tenham sido produzidos em 1956, a produção efetiva começou no ano de 1957.

No dia 15 de novembro de 1957, desfilava pelas ruas o primeiro carro fabricado no Brasil, a perua DKW. Não era um carro bonito, as linhas traseiras eram quadradas e totalmente diferente da parte frontal arredondada, herdada dos DKW fabricados na Alemanha. Não haviam muitas alternativas quanto à cor da pintura nem do estofamento. Mas a perua andava bem e surpreendia pelo desempenho e economia. O motor era de dois tempos e três cilindros, com tração dianteira. O câmbio tinha quatro marchas para a frente e a estabilidade era satisfatória. O consumo de gasolina era absurdamente baixo para a época.

O ano de 1959 tornou a história do automóvel no Brasil uma realidade! A perua DKW teve as suas linhas renovadas, e era vista pelas ruas, em concessionárias e podia até ser financiada. Em seguida, três lançamentos marcaram o mercado: o Renault Gordini, o Karmann-Ghia e o Interlagos. O Gordini ganhou câmbio de quatro marchas e passou a ser chamado de “40 cavalos de emoção” devido a sua boa performance. Já o Karmann Ghia usava toda a plataforma da Wolks21, com motor 1200 que chegava até 120km/h E por fim, o Interlagos: o primeiro carro nacional a ser produzido em série. Oferecia aos consumidores 3 opções de motor e chegou até a participar de provas de corrida, com a equipe Willys Oficial.

Leia também: Carros seminovos que valem a pena comprar: a lista definitiva

A partir daí algumas fábricas resolveram mostrar o valor dos seus automóveis em provas de corrida. A Vemag criou a Equipe Vemag Oficial, e o DWK se mostrou superior a muitos carros com potência mais elevada. A Simca, resolveu criar seu Departamento de Competições, colocando inicialmente seus Chambord na pista e a Alfa Romeo, da mesma forma, mandava de sua fábrica em Petrópolis seus JK oficiais de corrida.

A princípio, essas competições não passavam de campanhas de marketing. Todo o esforço dedicado era para promover um certo impacto na promoção de vendas

Com esse esforço, que, na realidade se traduzia em promoção indireta de vendas, as fábricas começaram, aos poucos, a criar uma opinião pública favorável quanto à qualidade de seus carros.

As novidades não pararam por aí

Chevette no brasil

A histórica do automóvel no Brasil já estava consolidada, porém, os consumidores começaram a ser exigentes. Dentro deste necessário, as montadoras começaram a investir em verdadeiras mudanças de estilo e capacidade.

Em 1973 a revolução automobilística começou. Novos modelos surgiram e fizeram história no mercado. Dentro desta mudança se destaca o primeiro carro realmente atualizado: o Chevette, da General Motors. Em seguida, a Volkswagen lançou a Brasília, com os mesmos componentes tradicionais, mas com carroceria atualizada, proporcionando um enorme crescimento para a fábrica. Esses modelos abriram a porta para tantos outros como o Maverick, Passat, Alfa Romeo e tantos outros que fizeram parte da história do automóvel no Brasil.

Conheça os carros lançados entre 1956 a 1979

1956 – Romi-Isetta

1956 – Perua DKW-Vemag

1957 – Kombi – Volkswagen

1957 – Ford F-100 – Ford

1957 – Jeep Willys

1958 – Chevrolet Brasil 3100 – Chevrolet

1958 – Rural Willys

1959 – Fusca – Volkswagen

1959 – Simca Chambord

1960 – Aero Willys

1960 – FNM 2000 JK

1961 – Willys Interlagos

1962 – Karmann Ghia – Volkswagen

1962 – Renault-Willys Gordini

1964 – Chevrolet Veraneio – Chevrolet Pick Up

1964 – GT Malzoni – Lumimari/Puma

1965 – Brasinca GT 4200 Uirapuru

1966 – Puma GT – Puma

1966 – Willys Itamaraty

1967 – Galaxie – Ford

1968 – Corcel – Ford

1968 – Opala – Chevrolet

1969 – VW 1600, Variant, TL – Volkswagen

1969 – Dodge Dart

1969 – Puma GT4R – Puma

1970 – Belina – Ford

1970 – Puma GTE – Puma

1971 – Puma GTS – Puma

1971 – Dodge Charger

1972 – SP1 – SP2 – Volkswagen

1973 – Chevette – Chevrolet

1973 – Maverick (automóvel) – Ford

1974 – Brasília – Volkswagen

1974 – Passat – Volkswagen

1975 – Chevrolet Caravan – Chevrolet

1976 – 147 L – Fiat

1977 – 147 Pick-up – Fiat

1977 – Miúra

1978 – 147 Rallye – Fiat

1979 – Chrysler-Dodge Magnum e Le Baron

1979 – 147 Álcool – Fiat

É incrível pensar que a história do carro no Brasil começou assim. Atualmente estamos tão avançados que já falamos até em Carros Híbridos no Brasil. Não sabemos exatamente o que esperar do futuro, mas com tantos avanços tecnológicos, certamente teremos veículos surpreendentes nos próximos anos.

Se você conhece alguém que é apaixonado por carros, que tal compartilhar nosso artigo com ele? Até breve!

Quem gostou disso, também curtiu:

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *